domingo, 14 de novembro de 2010

Anda comigo ver os aviões


Eu acho que tu te importas muito com os outros.
Nós somos duas mulheres. E eu compreendo. Compreendo que não seja uma coisa normal para ti. Percebo que tens medo de perder pessoas.
Mas ouve. Não tenhas medo.
Tu mostras-te sempre como uma mulher forte, sem medo de falar, sem medo de ser aquilo que é. Onde estás então?
Sabes o que é que às vezes me fazes pensar?
Que eu e tu até podiamos ficar juntas mas que tu tens medo do mundo. Tens medo de chegar lá fora e dizer que te entregaste à pessoa que te ama. Por ser mulher. Por ser eu.
Que não ficas comigo porque ias ter que dar satisfações. Não és tu que sempre dizes que não tens que dar satisfações a ninguém sobre a tua vida?Então? Vive-a só. Sê feliz. Desfruta do facto de te amarem. Não faças sofrer quem te ama. Não é merecido. Eu sei que tu gostas de mim. Eu sei que tu sentes a minha falta. Eu sei que tu me queres na tua vida. Quando eu me afasto tu puxas-me para ti. Porquê? Vive, vive, vive...Deixa-te ser amada, sê feliz com isso, dá bons momentos, dá sorrisos. Dá felicidade. Sabes que podes. Sabes que está nas tuas mãos. Faz o que tens a fazer. Dá vida a quem não te dás. Ou dá-te. E vive.

Vamos ser felizes amor (",)

2 comentários:

Mary J. disse...

Que grande (em todos os sentidos) história de amor..

Sara Grilo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.